4 Razões Porque Temos Medo

27 de nov de 2012




De que você tem medo? Por que você tem medo? Não sei do que você tem medo, mas é provável que isso esteja afetando você de formas visíveis e não visíveis. O medo é um câncer na sua vida. O medo em sua mente leva ao estresse no seu corpo.
Quando você tem medo, você pode ficar ansioso, estressado, ou perder o sono. Você pode desenvolver um tique nervoso no olho ou uma afta. Você pode ter problemas cardíacos ou estomacais. E, com esses sintomas, você pode começar a se automedicar com cafeína, comida, bebidas energéticas, jogos de azar, sexo, álcool, ou qualquer coisa que lhe traga um conforto momentâneo.

O Mandamento n.º 1 na Bíblia

Mais do que qualquer outro mandamento, a Bíblia diz: “Não temas.” Você vai encontrar esse mandamento na Escritura cerca de 150 vezes.
E quase toda ocasião de “não temas” por toda a Bíblia é acompanhada por algo importante que Deus quer nos dizer, não com um tom irado, mas de uma forma amorosa e convidativa.

Considere apenas os seguintes exemplos.

Adão, em Gênesis 3, diz: “Eu tive medo”. E então o que acontece? Deus vem para estar com ele em seu medo.
Em Gênesis 15.1, Deus diz a Abraão: “Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo”. Deus está dizendo que o protegerá.
Nós lemos sobre Isaque em Gênesis 26.24. Deus diz: “Eu sou o Deus de Abraão, teu pai. Não temas, porque eu sou contigo”.
Deus diz a Jacó em Gênesis 28.15: “Eis que eu estou contigo”.
Moisés estava com medo em Êxodo 33.14, e Deus diz: “A minha presença irá contigo”.
Elias está em um campo de batalha, um momento óbvio para se ter medo. Deus diz a ele em 2Reis 1.15: “Não temas”.
Davi expressa isso muito bem no Salmo 23.4: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo”.
Nós lemos em 2Crônicas 20.17 que ele diz ao Rei Josafá, na véspera da batalha: “Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR é convosco”.
Em Isaías 41.14 nós lemos: “Não temas, ó vermezinho de Jacó”. Como você sabe, vermes não são predadores; eles nem mesmo defendem a si mesmos. Porque Jacó, o verme, não precisa ter medo? Porque o Senhor Deus declara: “Eu te ajudo”.
Jeremias teve uma vida dura como profeta, mas Deus declara a ele em Jeremias 1.8: “Não temas diante deles, porque eu sou contigo para te livrar”.

Porque Temos Medo

Apesar dessa esmagadora evidência bíblica de que não devemos temer, mas sim confiar em Deus, nós freqüentemente nos tornamos presas do medo. Por quê?
Aqui estão quatro razões pelas quais eu acredito que temos medo.

1. Nós Não Acreditamos na Soberania de Deus

O medo em nossa vida nem sempre é racional. Na maioria das vezes, o medo é baseado naquilo que pode ou não pode acontecer. Dessa forma, o medo lhe dá a impressão de que você vê e sabe tudo. Você cria em si mesmo a imagem de um deus funcional. É Deus que é soberano, não você. Pare de temer aquilo que você não sabe e comece a confiar naquele que tudo sabe.

2. Nós Criamos Nossa Própria Visão Em Vez de Buscar a Visão de Deus

Quando ficamos paralisados pelo medo do futuro, nós estamos basicamente vendo o futuro sem Deus. Nós dizemos algo como: “Eu vejo o futuro. Deus não está nele. Deus não vai ser por mim. Deus não vai me ajudar”. Mas isso é o contrário das palavras do próprio Deus, que diz depois em Jeremias: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais”.

3. Nós Frequentemente Somos Falsos Profetas

Ser um falso profeta é prever o futuro incorretamente. O medo em nossas vidas pode nos transformar em falsos profetas, predizendo coisas que talvez não – e muito provavelmente não – venham a acontecer. Isso muitas vezes não apenas afeta a nós mesmos, mas a outras pessoas em nossa vida as quais influenciamos. Em vez de especular sobre um futuro desconhecido, nós devemos descansar nas palavras de Jesus em Lucas 12.22-31:
Por isso, eu vos advirto: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer, nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Porque a vida é mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes. [...] Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? [...] Porque os gentios de todo o mundo é que procuram estas coisas; mas vosso Pai sabe que necessitais delas. Buscai, antes de tudo, o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas.

4. Nós Seguimos Falsos Evangelhos

Quando nós temos medo, nós denunciamos a confiança e o conforto que temos nas coisas em vez de em Jesus. Nós tentamos controlar nossas vidas. Nós nos agarramos ao dinheiro. Nós nos afastamos da comunhão. Nós nos rebelamos contra a autoridade. Nós pecamos. Nós nos automedicamos. Nós justificamos a nós mesmos. Transformamos Jesus em um terapeuta. Nós fazemos todas essas coisas para viver em uma visão do paraíso antes da ressurreição, criada em nossa própria imaginação.
Esse é um falso evangelho.

Uma Palavra Final

O que está impedindo você de obedecer a Jesus?
O que quer que esteja impedindo você, provavelmente a raiz está no medo, e é por isso que Deus precisa nos dizer tanto para não temermos. Saiba que Deus vem a você e diz: “Não temas. Eu sou contigo”. Em suas palavras finais aos seus discípulos em Mateus 28.20, Jesus diz: “Estou convosco todos os dias, até a consumação do século”.
Não tenha medo. Pela graça de Deus, persevere em Jesus, adore a Jesus, sirva a igreja, e dê à igreja.
Por Mark Driscoll © 2012 Mark Driscoll. Website: www.pastormark.tv. Original: 4 Reasons Why We Fear
Tradução: Voltemos ao Evangelho. Website: www.voltemosaoevangelho.com. Original:  Mark Driscoll – 4 Razões Porque Temos Medo


Leia mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/11/mark-driscoll-4-razoes-porque-temos-medo/#ixzz2DRCKefgL


Jesus e as Crianças - John Piper

13 de nov de 2012





Pensando nas Crianças como Detectores de Orgulho

Uma das coisas que devemos examinar, quando avaliamos as qualificações espirituais de um candidato ao ministério, é a maneira como ele se relaciona com as crianças. Ponha uma criança na sala e observe. Foi isto que Jesus fez para fixar seu ensino. As crianças são indicadores da presença do orgulho.
Talvez você pense que a principal coisa que Jesus pretendia dizer era: “Não seja orgulhoso, torne-se como uma criança”. Ele disse essencialmente isso em Mateus 18.3: “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus”. Todavia, Jesus disse algo muito mais interessante. Quando os discípulos começaram a discutir entre si qual deles era o maior, Jesus “assentando-se, chamou os doze e… trazendo uma criança, colocou-a no meio deles e, tomando-a nos braços, disse-lhes: Qualquer que receber uma criança, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe; e qualquer que a mim me receber, não recebe a mim, mas ao que me enviou” (Marcos 9.34-37).

Receber uma criança nos braços, em nome de Jesus, é uma maneira de receber a Jesus. E receber a Jesus é uma maneira de receber a Deus. Melhor dizendo, a maneira como lidamos com as crianças é um sinal de nossa comunhão com Deus. Alguma coisa está profundamente errada com a pessoa que não desce (ou deveríamos dizer sobe?) para amar e receber uma criança.
Portanto, talvez seja bom recordarmos as maneiras como Jesus lidou com as crianças. Medite nestas passagens, permitindo que elas despertem em você os anelos de Cristo. O que seria mais significativo do que receber a Cristo e receber, nEle, a Deus, o Criador?
Jesus nos diz, de uma maneira admirável, que podemos fazer isso quando ministramos às crianças.

1. Jesus foi uma criança.
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Isaías 9.6).

2. Jesus tomou crianças nos braços e as abençoou.
“Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis… Então, tomando-as nos braços e impondo-lhes as mãos, as abençoava” (Marcos10.14, 16).

3. Jesus curou a filha de uma mulher estrangeira.
“Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã” (Mateus 15.28).

4. Jesus expulsou um demônio de uma criança.
“E Jesus repreendeu o demônio, e este saiu do menino; e, desde aquela hora, ficou o menino curado” (Mateus 17.18).

5. Jesus ressuscitou uma criança.
“Tomando-a pela mão, disse: Talitá cumi!, que quer dizer: Menina,eu te mando, levanta-te! Imediatamente, a menina se levantou” (Marcos 5.41-42).

6. Jesus usou os pães e os peixes de um menino para alimentar uma multidão.
“Está aí um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas isto que é para tanta gente? Disse Jesus: Fazei o povo assentar-se” (João 6.9-10).

7. Jesus disse que devemos nos tornar como crianças.
“Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus” (Mateus 18.3-4).

8. Quando Jesus veio, as crianças clamaram: “Hosana ao Filho de Davi”.
“Vendo os principais sacerdotes e os escribas as maravilhas que Jesus fazia e os meninos clamando: Hosana ao Filho de Davi!, indignaram-se” ( Mateus 21.15).

9. Jesus predisse dias terríveis, quando os pais entregariam os filhos à morte.
“Um irmão entregará à morte outro irmão, e o pai, ao filho” (Marcos 13.12).

10. Jesus disse que, se recebemos uma criança em nome dEle, nós recebemos a Ele e ao Pai, que O enviou.
“Qualquer que receber uma criança, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe; e qualquer que a mim me receber, não recebe a mim, mas ao que me enviou” (Marcos 9.37).

Que o Senhor nos ensine esta profunda verdade — amar as crianças em nome de Cristo significa amar a Deus Filho e a Deus Pai. De fato, significa muito mais: aceitar, receber a Deus e ter comunhão com Ele. O ministério de berçário, realizado em nome de Cristo, não é uma obra insignificante.

Por: John Piper no Voltemosaoevangelho


Hillsong Chapel (Forever Reign 2012) - #Top5CriAugusto

4 de nov de 2012





Hillsong Chapel 2 é uma coleção acústica e devocional de músicas pela Hillsong Team. Gravado ao vivo em Março de 2012, "Forever Reign" é a segunda parte nesta expressão orgânica contemplativa de louvor e adoração. Composto por 12 canções cuidadosamente rearranjadas, esse projeto é perfeito para reuniões menores e vai ajudar a congregações de recursos com os favoritos, tais como; With Everything, Desert Song e Beautiful Exchange. É também ideal para a sua devoção pessoal e momentos de meditação e adoração.



_______________________


E vamos iniciar o #TOP5CriAugusto do segundo Acústico da Hillsong Music Austrália !!! 

#TOP5CriAugusto - His Glory Appears 



#TOP4CriAugusto - Cornerstone 



#TOP3CriAugusto - Forever Reign 



#TOP2CriAugusto - The Lost Are Found



#TOP1CriAugusto - With Everything



Espero que gostem do #TOP5 de Hoje e voltamos Em Breve ... SE Tiver Sugestões para o próximo ... Comente e deixe sua mensagem!

Até a próxima !!! 


Mordomia Cristã

1 de nov de 2012






A palavra “mordomia” soa quase sempre como regalia, alguém que tem tudo ao seu alcance, entre outros. Lembro bem de, quando criança, ouvir minha mãe dizer: “Tiago, deixa de mordomia e vai arrumar teu quarto!”. Assim como muitas palavras, essa também sofreu, ao longo dos anos, uma deturpação devido ao seu mau uso. Então, o que realmente significa?

A palavra mordomo, em português, vem do latim majordomus, que tem o mesmo significado do grego oikonomoV – oikonomos (oikoV – oikos, casa, e nomoV – nomos, governo). Major, em latim, é maior ou principal, e domus, casa, a casa com tudo que ela contém e significa. Assim mordomo é o principal servo, o que administra a casa do seu senhor.

Tudo é do Senhor (Sl 24). Entender o que é mordomia cristã fica bem mais fácil a partir deste princípio. Deus é dono de tudo quanto existe na terra e no céu. Se Ele é dono de tudo, inclusive de nós, podemos dizer que somos privilegiados, mas também temos a responsabilidade de administrar bem tudo o que Ele colocou em nossas mãos.

Daquilo que possuímos, emprestar aos outros sem esperar nada em troca, contribuir financeiramente para o crescimento da obra, acudir os necessitados, entre outros. Essas são expressões do amor de Deus em nós e evidências de um compromisso com Ele. Deus não precisa do seu dinheiro, fato, mas é quando fazemos o bem, socorrendo materialmente quem precisa, que honramos a Deus e damos a Ele aquilo que muito lhe agrada: a nossa fé.

O que você tem em suas mãos está sendo usado para honrar a Deus? Está sendo empregado de acordo com o que deseja seu Senhor? Primazia em nossas vidas e o trono dos nossos corações é o que interessa a Ele. Que tenhamos essa consciência, de que tudo o que somos e temos, os nossos talentos, nosso tempo e nosso esforço vem Dele e é pra glória Dele. Pense nisso!




 
2009 Template Mac|Templates e Acessórios