Por que você precisa ser perfeito.

19 de out de 2012





Jesus diz para sermos perfeitos assim como o Pai é perfeito (Mateus 5:48). Acreditar nessa afirmação pode nos levar a uma ambição descontrolada de querer ser perfeito exatamente como Deus é e por fim, querer tornar-se um semi-deus ou até mesmo um Deus. Por outro lado, olhar para este texto pode levar a um pensamento que Jesus estaria caçoando da nossa cara, uma vez que temos ciência que a perfeição é inalcançável para pobres pecadores mortais, que não conseguem nem ao menos refrear os impulsos da carne.

É exatamente neste momento que é necessário olhar para o contexto do texto lido. Jesus faz esta afirmação após enfatizar que era necessário que amássemos não somente os nossos amáveis próximos, mas que amássemos de igual modo os nossos inimigos, ou seja, as pessoas que nos fazem mal, nos perseguem e nos odeiam. Após dizer essas palavras, o Mestre declara “sejam perfeitos, como o vosso Pai é perfeito”.


A palavra grega traduzida como perfeição utilizada no texto é ‘teleios’. Esta palavra é usada no Novo Testamento quase sempre para exprimir um conceito de “maturidade”. Esta ideia de alguém perfeito, nos moldes do grego ‘teleios’, é de uma pessoa que atingiu o processo de crescimento como pessoa. Sendo assim, ser perfeito é ser adulto, maduro, atingir um objetivo de crescimento. No caso da afirmação imperativa de Cristo a questão vai até um pouco além. Ser perfeito (maduro) igual ao Pai é amar assim como o Pai ama. Isto é, deixar o nosso modo de amar e passar a amar do modo como Cristo ama e amou.

Em Romanos 12:9 a21, o apóstolo Paulo faz um relato exemplificando como Cristo amou e, consequentemente, como deveríamos amar. A passagem é uma completa aula sobre a ‘teleios’. E se, por um lado, Paulo expõe o texto como um estado possível de ser atingido, por outro lado, o apóstolo utiliza expressões que denotam que a caminhada, de fato não seria fácil e que estaríamos diante de contingências da vida. Exemplos dessas expressões são “procurem agir de tal modo”, “no que depender de vocês”, entre outras.

Vale notar que em todo o capítulo 12 de Romanos, o apóstolo Paulo não fala sobre pecado e lei, mas sim sobre nossa renovação da mente, o que é o nosso culto legítimo e como deveríamos amar, com amor cordial. É somente no capítulo13, a partir do versículo 8 que Paulo diz que aquele que está vestido com a ‘teleios’ e, portanto, ama como Cristo amou, já tem cumprido a lei. Ser perfeito é amar como Cristo amou e amar como Cristou amou é cumprir a lei. Desse modo, ser perfeito não é nunca pecar, mas é simplesmente procurar amar como Cristo amou.

É imperativa a afirmação de Cristo para sermos perfeitos (maduros, íntegros) como Deus é. É necessário porque nos faz bem. Ter maturidade suficiente para amar sem falsidade, lavar os pés dos outros, dar guarida ao necessitado, dar de comer e beber ao seu pior, entre outros atributos, nos faz um bem ‘danado’.  Isso porque não amar gera e solidão, não perdoar gera mágoa e desconfiança, ser arrogante gera o isolamento social. Isso tudo sem falar que esses problemas de ordem espirituais e emocionais, podem refletir no corpo, trazendo as famosas doenças psicossomáticas, ou seja, doenças que começam na psique (mente) e se refletem no soma (corpo). De fato, amar como Cristo amou, é o cumprimento da lei de Deus, e de quebra nos faz bem em todas as áreas da vida.

Por fim, vale a exortação que Paulo faz no último versículo do capítulo 13 de Romanos: “Mas revesti-vos de Cristo”. E assim, o escritor sagrado nos dá, de mão-beijada, a receita para a ‘teleios’. Estejam revestidos de Cristo para amar como Cristo. A perfeição, não vem portanto, somente através da imitação, mas sim da habitação. É ser habitado por Cristo que me fará maduro e amoroso como Ele é e foi.

Que estejamos todos revestidos de Cristo, para sermos perfeitos (maduros) como Ele foi e é.

Por Luciano bruno no MVC

0 comentários:

Postar um comentário

 
2009 Template Mac|Templates e Acessórios